A reabertura limitada do país

Fonte: Dicas de Lisboa
Fonte: Dicas de Lisboa

O país está no terceiro estado de emergência e já há sinais de abertura por parte do Governo. Em entrevista ao Expresso, António Costa revelou o que vai acontecer nos próximos tempos.

As escolas estão fechadas desde o dia 16 de março. Perante as incertezas de pais e alunos, o Governo dá um sinal. “Vão abrir mais tarde em Maio”, para os alunos do 11º e 12º ano, revela António Costa ao Expresso. “A escola deve começar mais tarde, para não congestionar transportes públicos” e impedir aumento exponencial de casos.

As lojas de comércio local serão as primeiras a reabrir. No plano para o mês maio, esta é uma das prioridades de Costa. “É o que concentra menos pessoas, onde é possível ter uma menor distância de deslocação e onde é mais fácil organizar as entradas e evitar aglomerações” refere o primeiro-ministro. O anúncio surge numa altura em que se criam plataformas de apoio a este setor.

A utilização de máscara comunitária (reutilizável) será obrigatória nas escolas e nos transportes públicos. Uma produção que está a ser a “salvação” do setor têxtil e da economia”, diz o presidente da Associação Têxtil e Vestuário de Portugal. Atualmente, a Direção-Geral da Saúde, em comunicado, recomenda a utilização em espaços fechados.

As atividades culturais vão regressar lentamente à normalidade. Quer ir ao cinema? Segundo o primeiro-ministro, “os lugares vão passar a ser marcados, os proprietários só vão ser permitidos a vender bilhetes de duas em duas filas e de três em três cadeiras”.

Entre outras medidas, as praias vão ter restrições, cabendo aos municípios e capitanias estabelecer as medidas de distanciamento. O futebol deverá regressar em junho, provavelmente à porta fechada ou só com lugares cativos.