Calor e humidade já estão a atingir níveis fatais no planeta

Fonte: Asim Hafeez/Getty Images
Fonte: Asim Hafeez/Getty Images

Alterações climáticas na Terra estão a gerar ambientes potencialmente fatais para a sobrevivência de seres humanos, mais cedo do que o esperado. Esta é a conclusão de um estudo liderado pela Universidade de Columbia, nos EUA.

Cientistas apontavam o final do século como período no qual áreas com uma combinação de temperaturas e humidade elevadas, a níveis fatais para seres humanos, começariam a existir. O estudo publicado por pesquisadores da Universidade de Columbia na revista Science Advances, no entanto, revela que áreas como essas já existem atualmente.

Situações sem precedentes, ou raras, de calor e humidade extremos foram encontradas em diversos locais ao redor do mundo como na Ásia, África, América do Sul, América do Norte e Oceânia. 

Foram identificadas no Golfo Pérsico mais de uma dúzia de eventos recentes que, apesar de breves, já ultrapassam o limite teorizado para a resistência humana. De acordo com os autores do estudo, tais eventos duraram apenas algumas horas e foram bastante localizados, porém têm aumentado em frequência e em intensidade. 

“Os tempos de duração desses eventos aumentam, bem como as áreas que eles afectam, em relação directa com o aquecimento global”, afirma Colin Raymond, um dos principais autores do trabalho.

O acontecimento desses eventos é natural em áreas de costa, de mares interiores, ou em ambientes próximos a golfos e estreitos, já que nesses espaços a evaporação da água do mar é aspirada pelo ar quente. 

Outra informação apontada pelos investigadores é que atualmente, nos Estados Unidos, o calor mata mais pessoas do que qualquer outro problema relacionado ao clima, incluindo questões como o frio, furacões ou, até mesmo, inundações.

O climatologista Steven Sherwood, da Universidade de Nova Gales do Sul na Austrália, afirma, dentre outras informações compartilhadas no estudo, que “algumas áreas da Terra estão muito mais próximas do que era esperado de atingirem níveis de temperatura intoleráveis”.