Cientista afirma que coronavírus deriva da intromissão na natureza

Fotografia: AFP/Getty Images
Fotografia: AFP/Getty Images

Falta de respeito à natureza foi a causa apontada por Thomas Lovejoy, biólogo norte-americano. Para prevenir futuras pandemias, o cientista sublinha a necessidade de não sermos instrusivos.

Com a atenção voltada ao chamado “mercado molhado” chinês de Wuhan, que foi indicado como ponto inicial da pandemia do novo coronavírus, a vertente dos mercados de vida silvestre também começou a chamar a atenção. Em entrevista ao The Guardian, Lovejoy afirmou que a pandemia “é uma consequência da nossa persistente e excessiva intrusão na natureza e no vasto comércio ilegal de vida selvagem”.

Em declaração à National Geographic, Aron White, especialista da Agência de Investigação Ambiental, a diferença entre os dois tipos de mercados está no que vendem. Enquanto os mercados molhados, como o Mercado Atacadista de Frutos do Mar de Huanan, em Wuhan, focam no comércio de frutos do mar frescos, carnes, vegetais, frutas e alguns tipos de animais silvestres, como cobras, castores porcos-espinho e filhotes de crocodilos, os mercados de vida silvestre vendem apenas espécies selvagens, tanto para consumo quanto como animais de estimação.

Lovejoy declara que esse comércio de espécies selvagens foi o que desencadeou a pandemia, e complementou que “isso não é uma vingança da natureza, nós fizemos isso a nós mesmos”. A equipe de cientistas ainda descobriu que dois dos quatro novos vírus são criados todos os anos como consequência da ação humana sobre a natureza. O pesquisador sublinhou que “é óbvio que era uma questão de tempo até que algo como isso acontecesse”.

As condições higiénicas dos mercados é também um fator que pode causar o surgimento de doenças. De acordo com Lovejoy, a separação de animais silvestres dos domésticos poderia diminuir o risco de transmissão. A melhor alternativa, que segundo o cientista seria fechar os mercados de vida silvestre, é difícil. “A maior dificuldade é que, se você apenas fechar [os mercados] – […] eles vão ser substituídos por mercados ilegais, e isso é algo ainda mais difícil de lidar porque é clandestino”, declarou ao The Guardian.

O biólogo conclui que “a solução é ter uma aproximação mais respeitosa pela natureza, o que inclui lidar com a mudança climática e todo o resto”. Até o momento, o novo coronavírus afetou a economia mundial em um trilhão de dólares, segundo o World Economic Forum, além de impactar a vida de comunidades vulneráveis.