Estudo conclui que drogas para combate a Covid-19 têm custo impreciso

Estrutura química das drogas candidatas. Fotografia: Journal of Virus Eradication
Estrutura química das drogas candidatas. Fotografia: Journal of Virus Eradication

O artigo estipula que as indústrias farmacêuticas colocam um alto preço para drogas que podem ser eficazes no combate ao coronavírus, podendo impedir que pessoas acedam ao tratamento.

Em seu artigo “Minimum costs to manufacture new treatments for Covid-19“, na revista Journal of Virus Eradication, o grupo de cientistas concluiu que “[as indústrias farmacêuticas] poderiam manufaturar [os fármacos] com lucro a custos muito baixos, por muito menos que os preços de tabela atuais”, fazendo com que muitas pessoas possam ser privadas do tratamento. O fármaco sofosbuvir, por exemplo, tem um custo de produção de cinco dólares, mas é vendido a 18 dólares nos Estados Unidos da América (EUA).

Os cientistas estudaram cada uma das nove drogas, calculando todas as etapas clínicas de sua produção e os seus preços. Ao final, concluíram o preço aproximado do produto, e compararam com o quanto os fármacos são vendidos no mercado. No cálculo, o grupo considerou os custos de exportação, taxas e adicionaram 10% de margem de ganho.

Em entrevista ao The Guardian, um dos cientistas envolvidos no projeto, Jacob Levi, comentou que “há um longo histórico de grandes companhias farmacêuticas cobrando preços altos e desnecessários para medicações, mesmo que eles gastem muito pouco nas pesquisas e desenvolvimento das medicações”. O médico ainda acrescentou que “não podemos deixar que isso aconteça com medicações para a Covid-19, senão centenas de milhares de mortes preveníveis podem ocorrer e a desigualdade de assistência médica entre os pobres vai piorar”.

Preço de tratamentos potenciais à Covid-19: sofosbuvir. Ilustração: Mona Chalabi/The Guardian

Como exemplo há a Pirfenidona, que é uma droga usada no combate à fibrose pulmonar, que o tratamento completo custa 9.606 dólares nos EUA, que configura o topo da lista, mas também é cara em outros países, como no Reino Unido, em que o tratamento custa 2.561 dólares, e na França, que chega a 2.344 dólares.

O fármaco remdesivir – parte das pesquisas – foi tema do estudo de Anthony Fauci, especialista em doenças infecciosas, que sublinhou a necessidade de cautela no uso da droga contra a Covid-19, embora ela tenha seus custos minimizados com a ajuda de subsídios governamentais.