Linha de apoio ao setor das Artes ajuda 311 projetos

Fonte: Observador

Devido ao elevado número de projetos que se candidataram ao apoio, o Ministério da Cultura reforçou a capacidade da linha de emergência, totalizando 1.7 milhões de euros. Dos 1.025 pedidos de ajuda, apenas 311 serão respondidos.

Graça Fonseca, ministra da Cultura, confirmou na manhã desta quarta-feira que a linha de emergência, dotada de um milhão de euros, foi reforçada com 700 mil euros. De acordo com a Rádio Renascença, a verba de 1.7 milhões de euros vai ser distribuída entre 311 projetos.

Segundo o Observador, a tutela explica que, entre 27 de março e 6 de abril, “foram recebidos 1025 pedidos de apoio”, dos quais foram excluídos 389 “por não se enquadrarem nos critérios definidos, nomeadamente porque se destinavam a fins meramente lucrativos ou porque não se enquadravam nas áreas artísticas previstas”.  

Assim, dos 636 projetos considerados elegíveis, “416 enquadram-se na primeira prioridade”, que é a de “apoiar projetos artísticos de entidades que não recebem qualquer apoio público”. Desta forma, foi possível “garantir o apoio de 75% dos projetos considerados como primeira prioridade”.

A criação da linha de apoio para artistas e entidades culturais “em situação de vulnerabilidade” foi anunciada pela ministra da Cultura à Lusa, no dia 23 de março. A linha seria financiada pelo Fundo de Fomento Cultural. Apesar de, neste momento, os projetos estarem suspensos, Fonseca explica que “o objetivo é fazer com o que os projetos possam ser concretizados até ao final de 2020”.

Abertura de museus

A ministra da Cultura explicou aos deputados que, na próxima segunda-feira, Dia Internacional dos Museus, vão abrir os museus, palácios e monumentos. Devido ao facto de alguns não terem condições para abrir, este processo “será feito de forma progressiva”, afirma.

Ainda assim, a ministra aponta para o facto de “não poder esquecer que nos museus trabalham grupos de risco, pelo que é natural que alguns trabalhadores tenham de ficar em casa, nesta fase”. Fonseca anunciou também que os concursos para diretor destes estabelecimentos vão ser reabertos em breve.