Neste Dia Mundial da Dança o palco é online

Fonte: Público

Tal como nas aulas, filmes e teatros, as salas fechadas levaram o setor da dança a fazer uma jornada digital. Diversos espetáculos e atividades online vão ter lugar nas redes sociais das companhias de dança.

O Dia Mundial da Dança é celebrado esta quarta-feira por companhias e bailarinos de todo o país com espetáculos e atuações online segundo este artigo do Público. Nesta altura em que os palcos estão fechados e os espaços públicos não se partilham, estreiam-se criações originais ou repõem-se algumas peças. Em entrevista ao Público, os diretores da Companhia Paulo Ribeiro dizem que se “perde a beleza efémera e arrebatadora de uma emoção revelada perante olhares testemunhas de um propósito comum”, mas que estes dias “podem gerar novas ligações”.

São Castro e António M. Cabrita são os atuais coreógrafos titulares da Companhia Paulo Ribeiro e vão criar um projeto para exibir exclusivamente online neste Dia Mundial da Dança. A performance tem por base o espetáculo Last, que estreou em setembro no Teatro Viriato, em Viseu. “Last at home” vai estar disponível na plataforma Vimeo, na conta da companhia.

Cada um dos seis bailarinos movimentam-se ao som do Quarteto de Cordas nº12 de Beethoven, interpretado pelo Quarteto de Cordas de Matosinhos, num excerto gravado em casa. Todos eles fazem agora uma visita ao domicílio, a um público obrigado a dispersar-se devido à pandemia. O programa do Teatro Viriato para o Dia Mundial da Dança completa-se pelas 17 horas pela plataforma zoom, com “Sonífera Ilha” – um projeto de dança inclusiva fundado em 2001 na Madeira, que conta com o coreógrafo Henrique Amoedo e a companhia Dançando com a diferença.

A Companhia Nacional de Bailado (CNB) também vai celebrar a data instituída pelo Comité Internacional da Dança da UNESCO em 1982, que assinala o dia de nascimento do bailarino Jean-Georges Noverre (1727-1810), um dos pioneiros da dança moderna. No site da CNB pode assistir ao documentário “No Escuro do Cinema Descalço os Sapatos” (2016), de Cláudia Varejão, sobre a CNB.

Entre estas iniciativas, também se inclui a exibição do premiado “Cesena”, de Anne Teresa De Keersmaeker, uma comemoração do Culturgest de Lisboa, através das suas contas de Youtube e Facebook. O espetáculo está disponível até dia 30. Também o Teatro Municipal do Porto vai fazer uso da sua página de Facebook para transmitir “Brother”, do bailarino e coreógrafo Marco da Silva Ferreira. Este Dia Mundial da Dança tem uma última finalidade – a reflexão.

Dedicada a esta tarefa estará a Rede – Associação de Estruturas para a Dança Contemporânea, que se vai juntar com os seus associados por uma videoconferência para refletir o estado das artes performativas numa altura em que pede ao Governo “um verdadeiro fundo de emergência com verbas significativas”. A Rede revela já ter enviado uma série de propostas à ministra da Cultura, porque “as soluções até ao momento avançadas pela tutela mostram-se desadequadas, dispersas e pouco abrangentes”.