Número de casos da Covid-19 voltam a aumentar na China

Fonte: Aly Song via Reuters

Os novos casos confirmados seriam, de acordo com autoridades, provenientes do fluxo de nacionais retornando ao país. É o maior número registado em seis semanas.

Os casos da virose, inimiga conhecida da China, voltaram a aumentar pela primeira vez desde o dia 28 de março. Segundo a Comissão Nacional de Saúde Chinesa, o retorno de cidadãos Chineses, vindos especialmente da Rússia, impulsionou o aumento no número de casos. Novas medidas de segurança já foram impostas para conter o contágio.

Segundo o mesmo relatório, até a publicação desta reportagem, a China teve 89 novos casos confirmados.

O jornal France24 afirma que as chamadas ¨imported infections¨, ou infeções importadas em Português, tiveram início com o retorno massivo de Chineses à casa. As primeiras insurgências foram notadas justamente nas cidades localizadas na fronteira entre a China e a Rússia, nomeadamente as cidades de Suifenhe e Harbin.

Ainda de acordo com a publicação, após o cancelamento de vôos da Rússia para a China, muitos tiveram que pensar em maneiras alternativas de voltar ao país de origem. Dados do Consulado Chinês em Vladivostoque atestam que, pelo menos, 243 cidadãos Chineses contaminados cruzaram a fronteira até agora, e mais casos estão sendo confirmados.

O Jornal de Notícias avançou que profissionais de saúde e médicos já foram destacados para estes locais, e a cidade de Suifenhe impôs restrições similares às adotadas em Wuhan. Ainda segundo a publicação, muitos moradores deixaram a cidade a medida que o número de casos aumentou.

As barreiras sanitárias em Suifenhe. Fonte: Arquivo Reuters via Aly Song

A chamada segunda onda de contaminação vem em tom de sobre aviso a outras potências mundiais que já amoleceram as medidas de segurança impostas. Perante o novo cenário, os prazos para a ¨volta a normalidade¨ parecem ainda mais incertos e distantes, pelo menos para os cidadãos locais.