Projeto da Google deixa museus a um clique de distância

Fonte: Google Arts and Culture
Fonte: Google Arts and Culture

Em tempos de quarentena, as idas ao museu estão temporariamente suspensas. No entanto, para que o tédio não arruine as tardes em casa, é possível fazer visitar virtuais sem sair do conforto do sofá, através da Internet.

O projeto Google Arts and Culture foi criado em 2011, sob o nome Google Art Project. O que era, no lançamento, segundo The New York Times, “um trabalho em construção, cheio de erros e buracos de informação”, tornou-se, em tempos de quarentena em diversos países, uma ferramenta relevante para o acesso às artes

Ao aceder ao site, é possível encontrar diversas categorias e explorar as coleções por região, estilo ou ainda autor. Para além da visita em locais como o Museu d’Orsay, em França, as Pirâmides de Gizé, no Egito, ou o Taj Mahal, na Índia.

Um dos locais especiais a visitar é o Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, no Brasil. É possível ter acesso exclusivo, num passeio individual e sem interrupções, ao espaço que recebeu mais de 700 mil visitantes no ano passado. O museu, desenhado pela arquiteta brasileira Lina Bo Bardi, é conhecido pelo seu vão livre de 70 metros.

A interação com os espaços é similar ao Google Maps: tão simples quanto carregar com o rato e arrastar, para qualquer direção. Para avançar, diferentes setas direcionam o movimento da visita, que é completamente livre. Assim como o assistente de navegação, a vista é a 360º.

Para os que têm interesse na cultura e arte portuguesas, o estado de emergência não há de ceifar a chance de as conhecer. Há mais de 3600 itens incluídos na coleção digital, divididos em passeios virtuais por museus, coleções de arte e sítios de interesse cultural e histórico de todo o país.

Se o interesse for a cultura latino-americana, uma das visitas recomendadas é a Casa Azul, residência da pintora mexicana Frida Kahlo. A visita começa nos jardins da casa, datada de 1904, segue para os ateliers da pintora e até ao quarto, onde ainda estão as cinzas de Frida Kahlo.

A visita também é interativa. É possível enviar uma selfie para os servidores da Google e, assim, encontrar obras de arte similares à fotografia. A ferramenta não permite o upload de uma imagem já existente no computador, pelo que tem de ser tirada no momento da procura.

É também possível aceder aos espólios e interagir com a obras através do navegador, num computador, ou da aplicação, num telemóvel. A aplicação Google Arts and Culture está disponível para iOS, na App Store, e para Android, na Google Play.