Televisão portuguesa atinge audiências históricas

Fonte: Imagens de Marca
Fonte: Imagens de Marca

Com muitas famílias a permanecer nas suas habitações, o surto da Covid-19 tem contribuído para a subida generalizada das audiências dos canais de televisão. Ficar em casa trouxe um aumento no consumo de conteúdos pelos canais informativos, além de diversas alterações às grelhas televisivas.

Os orgãos de comunicação social adaptaram-se, e agora orientam-se por duas prioridades: dar informação e fazer companhia. Em declarações ao Público, José Fragoso, diretor de programas das RTP1 e RTP Internacional, refere que suspendeu “todos os programas com público e equipas maiores, para concentrar os recursos na informação”. Esta medida também foi tomada pelas direções da SIC e da TVI.

No último domingo, 15 de março, 31,6% dos portugueses estiveram a ver televisão, de acordo com dados da GFK/CAEM. Em média, os canais generalistas tiveram 14,3% e os canais cabo 12,6% de espectadores. Estes valores ao longo de 24 horas. Segundo o Público, foi o melhor dia de sempre desde março de 2012. É sobretudo à tarde que a audiência sobe, com mais de 1,1 milhões de cidadãos ligados ao ecrã.

Audiências televisivas de 9 a 15 de março. Fonte: GFK/CAEM

As circunstâncias atuais de prevenção, que aconselham os portugueses a ficar em casa, também chegaram às estações de TV. Daniel Oliveira, diretor-geral de entretenimento do Grupo Impresa, referiu no seu Instagram que a estação decidiu “atuar de forma preventiva e responsável na salvaguarda da saúde, segurança e estabilidade”. Com a declaração de estado de emergência, os efeitos do coronavírus vão ser sentidos ao longo de vários meses.

View this post on Instagram

A SIC decidiu nos seus programas de entretenimento atuar de forma preventiva e responsável na salvaguarda da saúde, segurança e estabilidade dos seus profissionais, criando condições para que o isolamento profilático aconselhado pelas autoridades nacionais de saúde seja tido em conta pelo maior número de pessoas possível. Assim, foram tomadas as seguintes medidas: – Suspender as produções de ficção em curso nas produtoras SP Televisão e Coral Europa durante o período mínimo de uma semana. Esta situação não afetará a emissão de “Terra Brava” e “Nazaré”, que continuarão a ser transmitidas diariamente, na SIC. – Suspender as transmissões em direto d’”O Programa da Cristina”, do programa “Júlia” e do programa “Olhó Baião”, durante o período mínimo de uma semana e criar as devidas adaptações aos formatos que permitam continuar a servir o melhor possível os telespetadores. – Realizar à porta fechada a próxima emissão de “Isto é Gozar Com Quem Trabalha”. – Adaptar o programa Alô Portugal ao momento de incerteza que vivemos, tornando-o uma plataforma ao serviço dos cidadãos, que terão via aberta para participação telefónica e esclarecimento de dúvidas. – Suspender por tempo indeterminado a gravação do programa “Árvore dos Desejos”, mantendo em exibição o conjunto de programas já gravados da segunda temporada. – Suspender o programa “Curto Circuito”, da SIC Radical, por um período mínimo de uma semana. – Restringir, de forma temporária, a presença de profissionais ao mínimo essencial para o normal funcionamento dos programas. – Destacar para isolamento profilático, colaboradores que estejam nos chamados grupos de risco Este conjunto de medidas permitirá, com a serenidade necessária, reajustar processos de trabalhos, criar novas regras de funcionamento, algumas delas já em curso, e a devida implementação de novos procedimentos. Serão avaliadas diariamente novas medidas que venham a revelar-se necessárias.

A post shared by Daniel Oliveira (@daniel__oliveira) on